Voltar para os braços da minha mãe...Pedro Abrunhosa

"Quero ir para casa, embarcar num golpe de asa, pisar a terra em brasa,
que a noite já aí vem. Quero voltar, para os braços da minha mãe"

Todos , ou pelo menos a maioria das pessoas, sonha ou já sonhou em um dia viajar, conhecer outros países, outras culturas. Eu tinha esse sonho quando vivia no Brasil. Ao contrário do que pensamos, viver fora do Brasil não é só vida boa, facilidades e alegria, não. Como disse a Fabi (uma amiga que viveu na Irlanda), no seu blog Por enquanto por aí: 

"Não é fácil ser imigrante, principalmente em país europeu...Em um ano sentimos muito por termos perdido aniversários, casamentos e momentos felizes junto de parentes e amigos....Quando se é imigrante você pode esquecer toda aquela história de bater no peito e exigir seus direitos. Direitos a gente tem no Brasil; aqui nosso direito é viver bem pacificamente, engolindo sapos e tentando ficar de boa com muitas situações aparentemente injustas. Quando colocamos tudo na nossa balança o saldo é positivo. Mas não é pra todo mundo."

É mesmo assim. O tempo vai passando e repensamos várias coisas...
É grande o sentimento de nostalgia que nos invade, por todos esses momentos não vividos junto de nossa família e amigos. Mas como a vida é feita de escolhas, perdemos aqui , pra ganhar mais na frente.

"Para os braços da minha mãe" , é uma linda canção do grande cantor Pedro Abrunhosa, com a participação do fadista Camané, cuja letra fala de amor, da partida, despedida, ausência, dos momentos perdidos junto aos nossos e da dor da emigração em Portugal.

«Esta canção surgiu num momento duro do país, em que as pessoas têm de sacrificar o melhor que têm - o amor pelos seus, pela sua terra - para irem procurar uma vida melhor [no estrangeiro]. Porque aqui, claramente, nesta altura, está muito complicado», contou Pedro Abrunhosa ao TVI 24.


Duas palavrinhas muito parecidas e que geram muitas dúvidas de vez em quando:

Imigrante: se refere a uma pessoa que vem residir num país que não é o seu. 
Emigrante:  se refere a uma pessoa que sai do seu país, indo residir num país estrangeiro.

Para os braços da minha mãe


Cheguei ao fundo da estrada,

Duas léguas de nada,

Não sei que força me mantém.

É tão cinzenta a Alemanha
E a saudade tamanha,
E o verão nunca mais vem.

Quero ir para casa
Embarcar num golpe de asa,
Pisar a terra em brasa,
Que a noite já aí vem.

Quero voltar
Para os braços da minha mãe,
Quero voltar
Para os braços da minha mãe.

Trouxe um pouco de terra,
Cheira a pinheiro e a serra,
Voam pombas
No beiral.

Fiz vinte anos no chão,
Na noite de Amsterdão,
Comprei amor 
Pelo jornal.

Quero ir para casa
Embarcar num golpe de asa,
Pisar a terra em brasa,
Que a noite já aí vem. 

Quero voltar
Para os braços da minha mãe,
Quero voltar
Para os braços da minha mãe.

Vim em passo de bala,
Um diploma na mala,
Deixei o meu amor p'ra trás.

Faz tanto frio em Paris,
Sou já memória e raiz,
Ninguém sai donde tem Paz.

Quero ir para casa
Embarcar num golpe de asa,
Pisar a terra em brasa,
Que a noite já aí vem. 
Quero voltar
Para os braços da minha mãe,

Quero voltar
Para os braços da minha mãe.

Sem comentários:

Enviar um comentário