Dia de Folga - Ana Moura

"Sem pressa de ar invencível, saia, saltos, rímel
Vou descer à rua, pode o trânsito parar .....

Folga de ser-se quem se é 
Folga para ao menos uma vez 
A vida ser como nos apetecer
Uma carga de trabalhos,
faz-nos falta renovar"

O fado, é um estilo musical português, cantado pelo fadista, acompanhado da guitarra portuguesa e de uma guitarra clássica, mais conhecida como viola. Fado vem do latim "fatum" que significa "destino". Amor, saudade, melancolia, cíúme e pequenas histórias do quotidiano, são sentimentos que o inspiram.


Emoção, sem dúvida alguma, é o que não falta ao Fado.

Ana Moura, é uma fadista portuguesa com uma voz maravilhosa. É um dos rostos do fado moderno em Portugal. Depois do enorme suceso de "Desfado " (post em Um pouco de fado) , Ana Moura traz outro fado igualmente alegre, em " Dia de Folga", tema de apresentação de seu novo disco, lançado em novembro de 2015. A letra da música está logo abaixo do vídeo. E bom dia de folga à todos!



Dia de Folga - letra e música de Jorge Cruz


Manhã na minha ruela, Sol pela janela
O Sr. jeitoso dá tréguas ao berbequim
O galo descansa, ri-se a criança
Hoje não há birras, a tudo diz que sim
O casal em guerra do segundo andar
Fez as pazes, está lá fora a namorar

Cada dia é um bico d’obra
Uma carga de trabalhos, faz-nos falta renovar
Baterias, há razões de sobra
Para celebrarmos hoje com um fado que se empolga
É dia de folga!

Sem pressa de ar invencível, saia, saltos, rímel
Vou descer à rua, pode o trânsito parar
O guarda desfruta, a fiscal não multa
Passo e o turista, faz por não atrapalhar
Dona Laura hoje vai ler o jornal
Na cozinha está o esposo de avental

Cada dia é um bico d’obra
Uma carga de trabalhos, faz-nos falta renovar
Baterias, há razões de sobra
Para celebrarmos hoje com um fado que se empolga
É dia de folga!

Folga de ser-se quem se é
E de fazer tudo porque tem que ser
Folga para ao menos uma vez
A vida ser como nos apetecer

Cada dia é um bico d’obra
Uma carga de trabalhos, faz-nos falta renovar
Baterias, há razões de sobra
Para a tristeza ir de folga e o fado celebrar

Cada dia é um bico d’obra
Uma carga de trabalhos, faz-nos falta renovar
Baterias, há razões de sobra
Para celebrarmos hoje com um fado que se empolga
É dia de folga

Este é o fado que se empolga
No dia de folga!

Sem comentários:

Enviar um comentário